Estudos e políticas sobre juventudes, educação e gênero: violências e resistências

 

Realiza pesquisas, executa projetos e programas sobre as condições de vida dos adolescentes e jovens, agregados à necessidade de pesquisas e avaliação de programas no campo de políticas públicas de juventudes, gênero, educação com temas como violências e convivências nas escolas, racismo estrutural, desigualdades sociais, juvenicídio, drogas lícitas e ilícitas, encarceramento e medidas socioeducativas embasadas no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

Concebe os adolescentes e jovens não somente como sujeitos de direitos, mas como sujeitos de desejo e potencialidades, ou seja, possíveis atores de novos direitos. Assim, se desenvolve, entre outras, análises sobre participação político-sócio-cultural, sexualidade, educação e violências, além de estudos sobre violências nas escolas, qualificação e oportunidades de trabalho, programas governamentais, gangues e tráfico de drogas – com destaque o entrelace entre classe, gênero, geração e modelagens de projetos de desenvolvimento.

Dois eixos principais orientam o Programa em relação à formação de educadores, gestores governamentais e agentes na sociedade civil.

1. Educação: são elaborados e ministrados cursos de especialização presenciais e educação a distância (EAD) para professores e outros profissionais que, em distintas ambiências, se relacionam com adolescentes e jovens, como no campo do direito, da segurança pública, em conselhos e, claro, em escolas. Destacam-se debates sobre diversidade, violências e desafios na construção de planos de convivência escolar. Produção de material pedagógico, artigos científicos, livros e cadernos. Participação em seminários nacionais e internacionais.

2. Políticas públicas de juventude: trata de cursos de formação (presenciais e EAD) para gestores, especialmente da área de adolescência e juventude, operacionalizando o enfoque de políticas públicas, considerando necessidades diversas, o lugar do Estado e de outras agências e os jovens como atores do desenvolvimento, tanto acessando ensaios, teórico-metodológicos, quanto o acervo de experiências programáticas nacionais e internacionais que se acercam daquele enfoque.

Coordenação:
Miriam Abramovay

Equipe:
Ana Paula da Silva
Eleonora Figueiredo
Lila Cristina Luz
Marcos Vinícius Sales
Marisa Feffermann

Mary Garcia Castro

Entre em contato

Precisando de ajuda ou quer tirar alguma dúvida? Entre em contato conosco!

Brasília (sede)

SAIS Área 2-A, s/n, 1º andar, sala 121, CEP: 70610-900, Brasília (DF), Brasil

flacsobr@flacso.org.br

Rio de Janeiro

Rua São Francisco Xavier, nº 524, 12º andar, sala 12.111, CEP: 20550-013, Rio de Janeiro (RJ), Brasil.

secretaria.academica@ flacso.org.br

São Paulo

Avenida Ipiranga, nº 1.071, sala 608, República CEP: 01039-903, São Paulo (SP), Brasil