Educação e práticas comunitárias são tema de publicação da Flacso Brasil

O Caderno Número 19, Práticas comunitárias educacionais brasileiras e suas territorialidades, da Série Cadernos Flacso, reuniu professores(as), pesquisadores(as) e estudiosos(as) que atuam e/ou produzem conhecimento sobre práticas comunitárias na educação para compartilhar saberes, experiências e construir uma ampla discussão sobre programas, políticas, projetos e metodologias educacionais que vêm sendo desenvolvidas e aplicadas em escolas da rede pública no Brasil.

Organizada por Greyssy Kelly Araujo de Souza, doutora em Educação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e integrante do Grupo Estratégico de Análise da Educação Superior (GEA-ES) da Flacso Brasil, a publicação tem como foco os Territórios do Norte e Nordeste do país e aprofunda, ao longo de seus nove artigos,  os conhecimentos sobre as experiências de integração escola-comunidade realizadas em contextos de escolas do campo, educação quilombola, educação escolar indígena e escolas de fronteira.

“A educação, através de suas práticas, está viva e presente nas comunidades, está nas relações, na cultura, nas lideranças, na luta e reivindicação por direitos. Está na contação de histórias feita pelos mais velhos, no sonho de melhoria de vida pelos mais jovens. Está representada e contextualizada na relação que se estabelece com o outro, com a família, os territórios e suas demandas, demandas locais e globais, ou seja, com todos aqueles que compõem as diversas redes de sociabilidade na qual o sujeito participa na vida social no seu território.”, afirma a organizadora do Caderno na abertura da publicação.

Souza reforça ainda que “ao destacarmos nesta edição as práticas educativas que são pensadas e desenvolvidas ‘pelas’, ‘para’ e ‘nas’ comunidades do Norte e Nordeste do país, estamos contribuindo para que essas experiências possam ser conhecidas e disseminadas para todos os educadores e educadoras”. Com este intuito, a publicação apresenta “algumas vozes, práticas, vivências e experiências sobre práticas comunitárias educacionais e suas territorialidades, que exemplificam o desejo e compromisso de educadores(as), pesquisadores(as) e estudiosos(as) em realizarem e produzirem práticas e conhecimentos sobre esta temática”.

Acesse aqui o Caderno Número 19, Práticas comunitárias educacionais brasileiras e suas territorialidades.

  1. Apresentação: educação e práticas comunitárias
    Greyssy Kelly Araujo de Souza
  1. Desafios e perspectivas da educação quilombola no município de Cavalcante-GO: identidade e pertencimento do(a) aluno(a) Kalunga
    Tathielle Santos e Márcia Inês Silva
  1. Quem é professora no quilombo? Docência, escolarização e identidade
    Alan Augusto Ribeiro, Patrícia Santos e Joilson Santos
  1. Educação quilombola: caminhos para resistência étnica e sociocultural no Brasil
    Elenilda Silva, Greyssy Kelly Souza e Tiara Melo
  1. Formação de professores nas Licenciaturas Interculturais no Brasil: avanços, vanguardas e resistências
    Amanda Marqui, Laíse Diniz, Juliete Alves, Janilson Barbosa, Potyara Santos e Ricardo Luiz Töws
  1. Brincadeira do coco e suas práticas educativas: repertórios para a desconstrução docente
    Laís Domingos
  1. Escolas do Campo e movimentos sociais no Brasil: possíveis interfaces
    Ramofly Bicalho
  1. Escolarização para as juventudes no ProJovem campo Saberes da Terra
    Conceição Cristina Silva, Kamila Karine Wanderley, Mirian Silva e Severino Silva
  1. Educação escolar indígena e práticas identitárias: um olhar sobre os processos educacionais de um grupo étnico no sertão de Alagoas
    Maria Regineide Carvalho, Lucas Emanoel Gueiros
  1. A luta pela educação nas histórias de vida dos professores indígenas Pipipã de Kambixuru, Floresta, Pernambuco
    Ana Carolina Coimbra e Maria Luísa Branco