Evento acontece nesta quinta-feira (9), a partir das 18h, no Teatro Municipal.
Vereadores, professores e alunos participarão do debate.

Aulas na unidade foram adiadas pela quinta vez  (Foto: Reprodução / Inter TV)

Aulas na unidade foram adiadas pela quinta vez
(Foto: Reprodução / Inter TV)

A Câmara de Vereadores de Nova Friburgo, na Região Serrana do Rio, realiza nesta quinta-feira (9) uma sessão ordinária para discutir medidas de apoio à Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) e o Instituto Politécnico (IPRJ). A reunião proposta por uma comissão formada por seis vereadores e aprovada por unanimidade em plenário e acontece no Teatro Municipal Laércio Rangel Ventura, às 18h.

Os vereadores da Comissão Permanente de Educação e Cultura, Norival, professor Pierre e Naim Pedro, além dos vereadores Johnny Maycon, Nazaré Catharina e Vanderléia  Abrace Essa Ideia solicitaram a reunião para debater a importância da instituição e o prejuízo da greve, que se estende desde o dia 18 de janeiro. O retorno às aulas foi adiado

“É fundamental a participação da população, especialmente de quem defende a educação como meio de transformação de nossa sociedade e de garantia de um futuro melhor para nossos jovens. Vamos lotar o Teatro Municipal e mostrar nossa força”, disse o vereador Pierre.

Sem salários e problemas estruturais
Segundo a direção da Uerj em Nova Friburgo, o atraso das aulas não afetará a programação prevista no calendário acadêmico e administrativo. O motivo da greve é a crise do governo estadual. Desde o dia 18 de janeiro, funcionários entraram em greve. Eles receberam os salários de novembro, mas ainda cobram os pagamentos de dezembro e do 13º salário.

No entanto, a Uerj também tem problemas de infraestrutura, como por exemplo, as dívidas com a empresa de energia elétrica. Segundo o diretor da unidade, Ricardo Barros, por causa de uma liminar da Justiça a unidade ainda está com o fornecimento em dia.

Há também dívidas com a concessionária responsável pelo abastecimento de água e, com essa pendência, segundo a direção da Uerj, fica difícil restabelecer as atividades no prédio. A Uerj existe há mais de 20 anos em Nova Friburgo.

Em nota divulgada nesta quinta-feira (9), o govenro estadual informou que “o governo do Estado do Rio de Janeiro reconhece a importância da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) e tem concentrado esforços na busca de soluções para a superação do atual quadro de graves dificuldades enfrentadas pela ​ instituição”.
Disse ainda que “a grave crise financeira enfrentada pelo Estado que, junto aos estados do Rio Grande do Sul e Minas Gerais, já decretou calamidade financeira, não impediu repasses de custeio à Universidade que totalizaram R$ 767, 4 milhões em 2016, sendo R$ 189,2 milhões em custeio e R$ 578,2 milhões em pagamento de pessoal”.