Cerca de 40% dos homicídios registrados no Brasil são praticados em jovens com idades entre 15 e 24 anos. O índice divulgado pelo “Mapa da Violência 2013 – Homicídios e Juventude no país” foi tema debatido durante o “I Seminário para Conselheiros Escolares e professores certificados”, proposto para apresentar medidas que possam contribuir para a redução dos índices de violência nas escolas da rede municipal de ensino de Aracaju.

O evento teve início na manhã desta quinta-feira, 21, no Auditório Antônio Vieira da Silva Neto, que funciona em anexo a Escola Municipal Presidente Vargas, no bairro Siqueira Campos, na zona Oeste de Aracaju, e contará com várias palestras pautadas nos desafios que a educação enfrenta para barrar a problemática, bem como estratégias que já vem sendo promovidas. Uma delas é o ensino em tempo integral, que é cotado como um dos grandes responsáveis na redução dos índices de violência no ambiente escolar.

“O seminário aborda uma política que o país tem um débito, e agora despertou para que se programem algumas ações para que a gente depois siga pra de fato criar uma política permanente no tempo integral. O aluno, todo mundo imagina e acredita, e nós temos consciência disso, que quanto mais tempo ele passa na escola, melhor para todo mundo, inclusive para a aprendizagem dele, isso é um elemento importante que vamos discutir hoje. São diversas atividades abordadas que garantem uma educação melhor ao jovem”, relata a secretária de Educação de Aracaju, Márcia Valéria Lira.

A secretária de Educação do município, Márcia Valéria Lira

O evento abordou ainda uma proposta de trabalho do lado intelectual e emocional do aluno.

“O equilíbrio emocional que a escola deve ter junto com a comunidade, junto com a família, e a inteligência relacional, traz uma cultura de paz para a escola, e a gente sabe hoje que a demanda da violência vem aumentando, e a necessidade de que tanto o poder judiciário, como o legislativo, o executivo, o ministério publico, estão discutindo o tema da violência que é um assunto muito emergente”, disse a secretária.

A boa base da educação na alfabetização também foi uma das abordagens do seminário. Para a secretária de educação do município, Márcia Valéria Lira, um bom aprendizado nos primeiros anos de ensino garante um bom rendimento do aluno ao longo dos anos.

“É muito importante o aluno aprender, o professor ensina e o aluno aprende muito se especializado na alfabetização. A gente tem que perceber se o nosso aluno foi uma pessoa muito bem alfabetizada, para depois se seguir muito bem nos seus estudos, e isso é uma grande vertente, a educação baseada em evidências é o segundo tema do seminário”, disse a secretária.

O promotor, Fausto Valois

Projeto “Conte até 10”

Ainda durante o seminário foi lançado o projeto “Conte até 10, uma campanha nacional realizada pelo Ministério Público, em parceria com as promotorias de educação. O projeto pretende trabalhar nos jovens estudantes, a “cultura da paz” e temáticas voltadas para a vida.

Para o promotor de justiça de Sergipe, Fausto Valois, o bom relacionamento da escola transforma os índices de violência em função do respeito e de outros valores que devem ser trabalhados.

“O projeto desperta para que os alunos valorizem a vida, o respeito aos semelhantes, que saibam as consequências da violência, do ato infracional. No ano de 2010, cerca de 49 mil pessoas perderam a vida vitimas de homicídios no nosso país, então a partir desses dados é que o Estratégia Nacional de Justiça e Segurança Pública (Enasp) e o Conselho Nacional dos Ministérios resolveram se envolver nesta campanha que trabalha”, disse o promotor.

Por Leonardo Dias e Kátia Susanna