Duração: 12 meses

Início: Abril de 2022

Modalidade: A distância

Coordenação: Boaventura de Sousa Santos

Inscrições: Encerradas

Inscrições Encerradas

7ª Turma (2022-2023)

MODALIDADE VIRTUAL

Especialização: 40 créditos, 360 horas / aula

Curso internacional: 9 créditos, 90 horas / aula

Duração: abril de 2022 e março de 2023.

Inscreva-se aqui.
Resolución CD 2020.01/04

As certificações da Especialização e do Curso Internacional serão realizadas pela Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (Flacso Brasil) e pelo Conselho Latino-Americano de Ciências Sociais (Clacso).

COORDENAÇÃO GERAL
Boaventura de Sousa Santos (Centro de Estudos Sociais, Universidade de Coimbra, Portugal)

COORDENAÇÃO ACADÊMICA:
Karina Bidaseca (CLACSO, Universidade Nacional de San Martín e Universidade de Buenos Aires, Argentina) e María Paula Meneses (Universidade de Coimbra, Portugal)

COMITÊ ACADÊMICO:

Salete Valesan Camba (Flacso, Brasil)
Boaventura de Sousa Santos (Universidade de Coimbra, Portugal)
Karina Bidaseca (CLACSO, UNSAM e UBA, Argentina)
María Paula Meneses (Universidade de Coimbra, Portugal)

 

FUNDAMENTAÇÃO
Vivemos tempos turbulentos e complexos. As Epistemologias do Sul, propostas por Boaventura de Sousa Santos, propõem a expansão do imaginário político para além do esgotamento intelectual e político do Norte global. Esse esgotamento se traduz na incapacidade de enfrentar os desafios deste século e nas ameaças à democracia, ao direito e à dignidade humana. O Sul global, o Sul que discutiremos neste curso, é uma metáfora para o sofrimento humano causado pelas grandes formas de opressão – capitalismo, colonialismo e patriarcado – e as várias formas de luta e resistência a essas formas de opressão. Nesse sentido, as Epistemologias do Sul buscam ampliar as possibilidades de repensar o mundo a partir dos saberes e práticas do Sul Global, desafiando as tentativas de epistemicídio, linguicídio ou subalternização epistêmica. Nesse cenário, as Epistemologias do Sul fornecem instrumentos teóricos e metodológicos que permitem desenvolver um diagnóstico crítico do presente que tem como elemento constitutivo a possibilidade de reconstruir, formular e legitimar alternativas para uma sociedade mais justa e livre.
 
A Especialização e o Curso Internacional assentam em três eixos fundamentais baseados nas Epistemologias do Sul:
 
1.    Que a interpretação do mundo supera a interpretação eurocêntrica dele;
2.    Que não é possível haver justiça social global sem justiça cognitiva global;
3.    Que as transformações emancipatórias produzidas no mundo não podem se limitar a gramáticas e scripts desenvolvidos pela teoria crítica centrada no Norte global; Pelo contrário, as Epistemologias do Sul reivindicam uma diversidade de saberes que sustentam as lutas sociais que importa (re)conhecer e valorizar.
 
Este espaço de formação, voltado para a promoção de diálogos interdisciplinares Sul-Sul, busca registrar e interpretar os saberes que sustentam as lutas sociais em nossos tempos e em nossas sociedades. E esse conhecimento não é apenas acadêmico; são conhecimentos de artistas, camponeses, ativistas, entre muitos outros. Paralelamente, o objetivo é estudar o Sul Global em toda a sua diversidade, um Sul que traduz metaforicamente um amplo campo de inovação econômica, social, cultural e política de crescente diversidade, em que os diálogos entre saberes traduzem as condições da pluriversalidade.
PÚBLICO ENVOLVIDO

A Especialização e o Curso Internacional em Epistemologias do Sul destinam-se a estudantes universitários de graduação e pós-graduação; professores de todos os níveis; ativistas e militantes de movimentos sociais, organizações e partidos políticos; membros da sociedade civil; jornalistas, comunicadores e funcionários da imprensa; membros e gestores de organizações não governamentais e profissionais interessados nas questões sociais e políticas que caracterizam a diversidade do Sul global.

EQUIPE DOCENTE
    BOAVENTURA DE SOUSA SANTOS Universidad de Coimbra, Portugal
    MARÍA PAULA MENESES Universidad Eduardo Mondlane, Mozambique y Universidad de Coimbra, Portugal
    KARINA BIDASECA Universidad Nacional de San Martín y Universidad de Buenos Aires, Argentina
    CARLA BRAGA Universidad Eduardo Mondlane, Mozambique
    GLADYS TZUL TZUL Instituto Amaq’, Guatemala
    IVANI FERREIRA DE FARIA Universidade Federal do Amazonas, Brasil
    JOÃO ARRISCADO NUNES Centro de Estudios Sociales de la Universidad de Coimbra, Portugal
    IOLANDA VASILE Centro de Estudos Sociales, Universidad de Coimbra, Portugal
    JORGE RAMOS TOLOSA Universidad de Valencia, España
    LEONARDO AVRITZER Universidade de Minas Gerais, Brasil
    NILMA GOMES Universidad Federal de Minas Gerais, Brasil
    MARIO RUFER Universidad Autónoma Metropolitana, México
    MARISA GONÇALVES Centro de Estudios Sociales, Universidad de Coimbra, Portugal
    MARTA SIERRA Kenyon College, Estados Unidos
    ROSALVA AÍDA HERNÁNDEZ Centro de Investigaciones y Estudios Superiores en Antropología Social, México
    SUSANA DE NORONHA Centro de Estudios Sociales, Universidad de Coimbra, Portugal
    MAURA BRIGHENTI Universidad Nacional de San Martín, Argentina
    VERONICA YUQUILEMA (Universidad de Coimbra, Portugal)
    ANTONIO ORTEGA SANTOS Universidad de Granada, España
ESTRUTURA ACADÊMICA
OCurso Internacional terá duração de um ano e requer a participação em fóruns de discussão e a realização de um projeto de conclusão de curso para seu credenciamento.
 
Especialização terá duração anual e exige, para o seu credenciamento, além da conclusão e aprovação do Curso Internacional; o credenciamento de dois seminários virtuais eletivos, disponíveis na estrutura curricular; uma oficina de metodologia e um trabalho final.
 
Especialização e o Curso Internacional de Epistemologias do Sul acontecerão entre abril de 2022 e março de 2023.
 
Os seminários e aulas virtuais do Curso Internacional serão oferecidos indistintamente em espanhol ou português. Essas duas línguas são usadas por professores e tutores, mas isso não significa que os professores as tenham como línguas maternas.
 
A bibliografia será oferecida nas línguas oficiais do curso – espanhol e / ou português-, de acordo com a disponibilidade. As intervenções dos alunos nos fóruns de discussão também devem ser feitas nessas línguas. O trabalho monográfico final pode ser entregue em português ou espanhol.
 
Os alunos da Especialização e do Curso Internacional terão o apoio de tutores acadêmicos que acompanharão o curso dos seminários virtuais e orientarão a realização dos trabalhos finais.
 
O Curso Internacional também busca construir uma biblioteca e uma cartografia dos movimentos sociais, onde outras vozes e saberes encontrem espaço e visibilidade, desafiando as tentativas de epistemicídio e de subalternização epistemológica.
OFERTA CURRICULAR

Oficina de apoio à preparação do trabalho final

Os seminários virtuais serão oferecidos indistintamente em espanhol, português e inglês. Da mesma forma, a bibliografia pode ser oferecida nas três línguas oficiais do curso. As intervenções dos alunos nos fóruns de discussão também podem ser feitas nessas línguas. O trabalho monográfico final pode ser em espanhol ou português.
 
CURSO INTERNACIONAL
 
 
Este curso internacional sobre Epistemologias do Sul, termo cunhado por Boaventura de Sousa Santos, tem como objetivo apresentar e debater o conhecimento produzido no Sul, uma base de reflexão para a transformação social nos tempos atuais. Ou seja, com o estudo de várias possibilidades reveladas a partir das Epistemologias do Sul, esta unidade curricular tem como objetivo teórico e metodológico a superação do modelo eurocêntrico característico do pensamento moderno, a saber, o pensamento abismal.
 
Saber a partir do Sul e com o Sul requer uma orientação política e epistêmica diferente. O Sul Global, tema central deste curso, busca reconhecer e validar o conhecimento produzido a partir dos oprimidos, por mulheres e homens que sofreram e sofrem as injustiças, opressões, dominações e exclusões causadas pelo capitalismo, colonialismo e patriarcado. As Epistemologias do Sul, como metáfora da exclusão, do silenciamento e da destruição dos povos e saberes, procuram dar corpo aos saberes e experiências do Sul global, a partir de pressupostos metodológicos e reflexivos em diálogo, em contraposição a qualquer proposta etnocêntrica.
 
Os docentes do curso tentarão problematizar, a partir de diferentes espaços geopolíticos e epistêmicos, as condições para um diálogo horizontal entre saberes, para as ecologias do conhecimento. Esses diálogos e as lições que eles contêm refletem as inovações que ocorrem nos países e regiões do Sul global. Este compromisso exigente pressupõe disponibilidade para o reconhecimento mútuo, uma compreensão intercultural, uma convergência política e ideológica, um respeito pela identidade e uma celebração da diversidade, como condições para um diálogo mais democrático no Sul global.
 
A construção do conhecimento a partir das Epistemologias do Sul requer outras metodologias de trabalho. Aprender com o próprio Sul, em sua diversidade, significa ir além do conhecimento acadêmico convencional. Construir diálogos entre diferentes saberes e lutas busca dar visibilidade aos povos e grupos sociais cujas práticas são construídas a partir desses saberes. Só assim será possível desenvolver narrativas alternativas que questionem a impossibilidade de pensar a diferença (sexual, étnica, racial, de classe, casta, religiosa etc.) com igualdade, a íntima conexão entre o local e o global, projetos de outras economias e outras sociedades políticas. Na segunda parte do curso propõe-se mapear, apresentar e discutir uma variedade de metodologias de trabalho ancoradas no corpo de conhecimento desenvolvido a partir das perspectivas das Epistemologias do Sul, privilegiando a ecologia dos saberes e as possibilidades de tradução intercultural entre conhecimento nascido em lutas.
 
 
Seminários Optativos:
 
Primeiro semestre
 
Desafiando fronteiras: migrações, colonialidades e resistências a partir dos suis
 
Resumo: O seminário propõe uma viagem entre algumas teorias contemporâneas sobre a migração e suas leituras da América Latina, bem como em torno de lugares materiais e simbólicos da história colonial moderna e hoje, como o Mar Mediterrâneo e os circuitos internos diaspóricos para a África e da África para a América Latina. Serão exploradas categorias como interseccionalidade e inclusão diferencial, políticas migratórias contemporâneas, conflitos e experiências de lutas em torno das fronteiras.
 
Coordenação:Karina Bidaseca (Universidade Nacional de San Martín, Universidade de Buenos Aires) e Maura Brighenti (Universidade Nacional de San Martín).
 
Prof. Convidados: Sandro Mezzadra (Universidade de Bolonha, Itália) e Ángeles Castaño Madroñal (Universidade de Sevilha, Espanha).
 
Estética decolonial do sul. Arte, memória e corpo
 
Resumo:O objetivo desta unidade curricular é discutir a forma como a colonialidade do poder se inscreve em corpos marcados pelo gênero e pela classe social. A colonialidade é uma ferida aberta que se reflete nos corpos como uma marca indissolúvel. Nossa proposta é que uma estética situada e libertadora como a praticada pelos artistas aqui considerados permita romper com o legado de vitimização e violência. Neste curso colocamos esse paradigma em diálogo com outros escritos que também propõem uma reflexão sobre a importância de uma estética situada e libertadora. A principal contribuição do curso é expor os alunos a uma ampla rede de teóricos que constroem diferentes interpretações do pensamento situado sobre a colonialidade do poder. Com base nisso, os estudantes revisarão teorias críticas sobre a estética decolonial e como ela se aplica às seguintes artistas: Ana Mendieta, Zanele Muholi, Regina José Galindo, Shirin Neshat, Fatima Mernissi, Teresa Margolles, Adriana Varejão, Joyce Kozlof, Mona Hatoum , entre outras.
 
Coordenação: Marta Sierra (Kenyon College) e Karina Bidaseca (Universidade Nacional de San Martín, Universidade de Buenos Aires).
 
Pandemia e Sociedade: resistência(s)
 
Resumo: Este seminário estrutura-se em torno da temática da Pandemia, das muitas representações e dos diversos conhecimentos, práticas e vozes que emergem do Sul geográfico, geopolítico e epistémico enquanto respostas à mesma, criando alternativa(s) e resistência(s), buscando um saber mais farto, horizontal e heterogéneo. As expressões narrativas e criativas de investigadores/as, ativistas, cidadãos/ãs, pacientes, terapeutas e cuidadores/as, as suas reivindicações e estratégias de luta, são o ponto de partida, algo que liga a equipa docente nas suas diferentes reflexões. As abordagens teóricas e empíricas serão apresentadas por docentes/investigadoras/es da América do Sul, África e Europa do Sul, com linhas de trabalho articuladas com as estratégias de ação que partem de outros conhecimentos, onde a ciência é apenas um dos muitos saberes em diálogo. Ligando a pandemia às restantes esferas da existência, este seminário ambiciona repensar a saúde e a COVID-19, abrindo a reflexão com o entrecruzamento de conhecimentos incorporados, científicos e criativos, aprendendo com a academia, o ativismo, a imaginação e a experiência vivida. Nos seus três meses de duração, o seminário online terá 12 aulas, sendo a primeira e última (de abertura e encerramento) apresentadas pela coordenação.
 
Coordenação: Susana de Noronha e João Arriscado Nunes (Centro de Estudos Sociai, Universidade de Coimbra, Portugal)
 
Segundo semestre
 
Epistemologias socioambientais. Narrativas para a reexistência no Sul global
 

Resumo: Com um olhar atento às formas de construção de conhecimento e ações bioculturais nos territórios do Sul Global, o seminário objetiva analisar as várias respostas às ameaças globais, o colapso civilizacional e as formas de luta nos territórios pela defesa do direito à vida. Ao localizar o estudo sobre o impacto da modernidade capitalista e nos projetos de colonialidade socioterritorial de matriz histórica, se buscará construir diálogos em torno das novas perspectivas de pesquisa decolonial que narram as práticas de construção do conhecimento desde o Sul.

Coordenação: Antonio Ortega (Ação da Rede Sul de Formação de Descolonialidade)

 
Memórias, lutas sociais e processos de reconciliação construídos a partir das ecologias do conhecimento
 
Resumo: Em muitas sociedades do Sul global, profundamente marcadas pela relação colonial, ou seja, conhecimentos sobre sua história e construídos sobre pressupostos, metodologias e fontes que perpetuam a manutenção de perspectivas eurocêntricas. Trata-se de uma herança colonial que se pretende substituir por uma agenda de produção de conhecimentos plurais e traduções interculturais, a partir de um estudo analítico sobre as histórias orais, coletivas e pessoais, a partir das artes e de dois espaços de criatividade.
O seminário apresenta investigações desenvolvidas em diversos contextos sociais e políticos, reflectindo sobre como educar das novas gerações nas histórias e lutas pela justiça social que têm fundado expressões culturais e artísticas como ou cinema, literatura, ou teatro, música, artes plásticas, oral narrativas, artes de rua, meios privilegiados de comunicação, de produção de conhecimento sobre essas histórias e suas identidades culturais.
 
Coordenação: Marisa Ramos Gonçalves (CES – Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra), Maria Paula Meneses (CES – Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra) e Iolanda Vasile (CES – Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra)
CRONOGRAMA

FORMAS DE PAGAMENTO
CM Pleno: se você pertence a um Centro Membro Pleno do CLACSO.
 
CM Associado: Se você pertence a um Centro Associado do CLACSO.
 
Sem vínculo: Se você NÃO possui nenhum desses vínculos com o CLACSO.
 
ESPECIALIZAÇÃO
 
  Pagamento em uma parcela antes de 20/01 Pagamento em uma parcela após 20/01 Pagamento em 3 parcelas
CM Pleno USD 400 USD 570 USD 750 (3 x USD 250)
CM Associado USD 530 USD 700 USD 1020 (3 x USD 340)
Sem Vínculo USD 660 USD 960 USD 1290 (3 x USD 430)
CURSO INTERNACIONAL
 
  Pagamento em uma parcela antes de 20/01 Pagamento em uma parcela após 20/01 Pagamento em 3 parcelas
CM Pleno USD 115 USD 230 USD 315 (3 x USD 105)
CM Associado USD 175 USD 290 USD 360 (3 x USD 140)
Sem Vínculo USD 240 USD 360 USD 450 (3 x USD 180)

Em todos os casos, o pagamento pode ser feito por cartão de crédito, depósito ou transferência bancária.

PERGUNTAS FREQUENTES
Quem pode participar da Especialização e do Curso Internacional?
 
A Especialização e o Curso Internacional são destinados a estudantes universitários de graduação e de pós-graduação; professores de todos os níveis; ativistas e militantes de organizações sindicais, movimentos sociais e partidos políticos; funcionários públicos e agentes da área jurídica, jornalistas, comunicadores e assessores de imprensa; membros e dirigentes de organizações não governamentais e profissionais interessados no assunto.
 
O que devo fazer para me inscrever?
 
Para participar é necessário que você se inscreva pela web.
 
As inscrições estarão abertas entre 21 de dezembro e 11 de fevereiro.
 
Como confirmar se estou inscrito/a?
 
Ao finalizar o processo de cadastro você receberá uma confirmação por e-mail.
 
O que acontece se eu não cursar, não concluir ou for reprovado/a nos Seminários Eletivos e obrigatórios exigidos pela Especialização?
 
No caso de não ser concluída alguma das instâncias de formação obrigatórias, em todos os casos, deverá ser pago um valor adicional para recuperação do referido crédito.
 
Caso o aluno decida não fazer a Especialização ou o Curso Internacional antes do seu início formal, ele poderá solicitar o reembolso da taxa de inscrição. O Clacso ficará com o equivalente a 10% das despesas administrativas.
 
Critérios excepcionais: em casos excepcionais e nos primeiros dois meses de início da Especialização, o aluno poderá solicitar a saída da turma e retomá-la no ano seguinte. Em todos os casos, os motivos que justificam o pedido devem ser apresentados por escrito. Dois meses após o início do curso, não será mais possível solicitar esse procedimento.
 
O que acontece se eu tiver que abandonar o curso?
 
Caso o aluno decida não fazer o Curso Internacional ou a Especialização antes de seu início formal, ele poderá solicitar o reembolso da taxa de inscrição. O Clacso ficará com o equivalente a 10% das despesas administrativas. Após o início, nenhum reembolso será feito.
 
Quando as aulas começam e quando terminam?
 
As aulas terão início a partir de abril de 2022 e serão concluídas em março de 2023.
 
Como poderei acessar as aulas?
 
Todos os inscritos receberão as instruções necessárias para acessar as aulas, a bibliografia e os fóruns de discussão por meio do Espaço de Formação Virtual do Clacso.
 
Como poderei utilizar o Espaço de Formação Virtual?
 
O acesso e a navegação pelo Espaço de Formação Virtual acontecem de maneira simples e clara. De qualquer forma, uma equipe de apoio técnico e acadêmico estará sempre à disposição.
 
O que devo fazer para obter o título da Especialização?
 
Deve credenciar o Curso Internacional, dois Seminários Virtuais eletivos, a oficina de apoio à realização do trabalho final e realizar o trabalho final.
 
Como será a avaliação da Especialização?
 
Para obter o título da Especialização, você deve concluir um trabalho monográfico final. A oficina de apoio à realização do trabalho final é obrigatória e vai ajudá-lo nesse processo.
 
O que devo fazer para obter o título do Curso Internacional?
 
Você deve participar das aulas e atividades propostas pelos professores e fazer o trabalho monográfico final.
 
Vou receber um certificado por ter concluído a Especialização ou o Curso Internacional?
 
Sim, a Especialização e o Curso Internacional são certificados pela Flacso Brasil e pelo Clacso.
 
A especialização tem carga horária total de 360 horas e o curso internacional 90 horas.
 
O envio do certificado de conclusão será feito de forma digital e é totalmente gratuito. O mesmo, em formato físico, pode ser obtido gratuitamente na sede do Clacso, em Buenos Aires, ou nas sedes da Flacso no Brasil (Brasília, Rio de Janeiro ou São Paulo).
 
O diploma internacional de Especialista é emitido pela Secretaria-Geral da Flacso, localizada na Costa Rica. Os valores e procedimentos para emissão e envio do diploma internacional podem ser consultados na página da Flacso Brasil: versão em português e versão em espanhol.
 
Posso legalizar ou validar a Especialização?
 
A Especialização e o Curso Internacional são credenciados pela Flacso Brasil e pelo Clacso.
 
Qual é o custo da Especialização?
 

Veja a tabela de preços e modalidades, disponível acima.

 

Caso deseje a certificação internacional expedida pela Secretaria-Geral da Flacso, deverá ser pago um custo adicional.*

  *A emissão do diploma impresso, junto com o histórico de notas, custa USD 200,00 (duzentos dólares). O valor inclui o envio dos documentos impressos e assinados para o endereço residencial do estudante. Os procedimentos para emissão e envio do diploma internacional podem ser consultados na página da Flacso Brasil: https://flacso.org.br/?page_id=24376.

Qualquer outra dúvida entre em contato através dos e-mails posgraduacao@flacso.org.br e epistemologias7@clacso.edu.ar ou envie um WhatsApp para +5491138801388.
Para tratar de desconto para grupos e instituições, você pode entrar em contato com descuentosinstitucionales@clacso.edu.ar.

Entre em contato

Precisando de ajuda ou quer tirar alguma dúvida? Entre em contato conosco!

Brasília (sede)

SAIS Área 2-A, s/n, 1º andar, sala 121, CEP: 70610-900, Brasília (DF), Brasil

flacsobr@flacso.org.br

Rio de Janeiro

Rua São Francisco Xavier, nº 524, 12º andar, sala 12.111, CEP: 20550-013, Rio de Janeiro (RJ), Brasil.

secretaria.academica@ flacso.org.br

São Paulo

Avenida Ipiranga, nº 1.071, sala 608, República CEP: 01039-903, São Paulo (SP), Brasil