Entre os dias 30 de novembro e 03 de dezembro, a Flacso Brasil apoiou a realização do Fórum Nacional de Educação Escolar Indígena (FNEEI). A 6ª edição do evento aconteceu em Luziânia, Goiás, e contou com a participação da Diretora da Flacso, Rita Potyguara. Além da Diretora, os membros do Programa Cidadania, Participação Social e Políticas Públicas, coordenado por Kathia Dudyk, fizeram a relatoria do VI FNEEI. O evento contou com 520 indígenas, de 127 povos, entre professores, professoras, gestores e discentes de universidades federais vinculados à pauta.

A realização do Fórum buscou gerar uma reflexão interna sobre as condições da Educação Escolar Indígena no Brasil, os avanços e as perspectivas para o futuro. Os profissionais indígenas da educação de 23 estados e do Distrito Federal aproveitaram para definir pontos prioritários para atenção na educação dos povos originários. “O fórum foi criado pela vontade de vários povos indígenas de todos os estados que sentiram a necessidade de ter uma representação nacional para acompanhamento da elaboração e implementação das políticas sobre a educação escolar indígena”, disse Rose Sateré-Mawé, indígena doutoranda em Linguística e integrante da Comissão Organizadora do FNEEI.

A partir do evento, as lideranças escreveram documento que foi entregue para a equipe de transição vinculado ao GT de Educação do novo governo eleito e ao Ministério da Educação. “O retorno foi altamente positivo e foi uma conversa que deixou o canal aberto para diálogo em outros momentos”, disse Rita Potyguara, Diretora da Flacso Brasil e membro da Comissão Organizadora do VI FNEEI. Além da equipe de transição, o Fórum realizou diálogo com o Ministério Público Federal (MPF), que se aproximou das discussões com as lideranças.

Aline Quintão, Fábio Merladet, Luciano Ribeiro e Bárbara Nonato, do Programa Cidadania, Participação Social e Políticas Públicas, além de Tarisson Nawa, da Assessoria de Comunicação da Flacso Brasil, participaram das discussões e destinaram esforços para a realização e cobertura do evento. “Enquanto programa Cidadania temos sido parceiros em projetos e ações de desenvolvimento, registro e sistematização do processo de avaliação das políticas e da gestão da educação escolar indígena” declarou Bárbara Nonato, da Flacso Brasil, ao apontar que a instituição também colaborou com a construção da metodologia de processos participativos que contribuíram com a política pública, por meio da proposição de diretrizes, estratégias e mecanismos, a exemplo da 1ª Conferência Nacional de Política Indigenista e da 2ª Conferência Nacional de Educação Escolar Indígena.

A partir do evento, as lideranças esperam institucionalizar o Fórum Nacional de Educação Escolar Indígena e aumentar a representação de todos os povos e estados. A ideia é congregar a diversidade étnica das populações originárias com apoio dos aliados à pauta da educação escolar indígena. “Nós queremos fazer mais que um evento; nós queremos dar uma solidez a esse Fórum e ampliar para a máxima participação entre os parentes e não parentes”, finalizou Rita Potyguara.