A Flacso Brasil lança, no mês de março, o Caderno Número 20 – Educação, gênero e decolonialidade do saber: esperançando outros tempos, da Série Cadernos Flacso. A publicação reúne artigos que abordam temas como decolonialidade, gênero e violências nas escolas e combinam “críticas a violências e negacionismos com apostas em formatos educacionais mais afins com a humanidade das mulheres e das pessoas LGBTQI+, lembrando que para Paulo Freire, uma educação libertadora aposta no esperançar”, afirma a organizadora da publicação, Mary Garcia Castro, na apresentação do caderno.

O artigo Reflexiones sobre el género y la violencia contra las mujeres en la educación superior mexicana, de Ursula Zurita, pesquisadora da Flacso México, aborda ganhos em termos de jurisprudência contra a violência em relação às mulheres e os desafios, em especial, no lidar com a burocracia universitária para que tais leis sejam de fato realizadas.

Em Virada feminista e perspectivas decoloniais. Notas-ensaio para outros currículos e práticas em ciências sociais, Mary Garcia Castro, pesquisadora na Flacso Brasil, apresenta proposta de outra modelação de cursos em Ciências Sociais, que considere os debates sobre colonialidade do poder e as perspectivas feministas sobre decolonialidade.

No artigo Gênero e educação: desafios e contradições, as professoras Lucia Helena Rincón Afonso, Maria Cristina das Graças Dutra Mesquita e Maria Esperança Fernandes Carneiro – do Programa de Pós-Graduação (Mestrado e Doutorado) da Pontifícia Universidade Católica (PUC) de Goiás –, alinhando-se ao materialismo histórico, discutem construções sociais de autores clássicos (em especial do campo teológico) sobre mulher e gênero, chegando aos tempos atuais. As autoras consideram lidar com a indústria cultural, os meios de comunicação e sua importância como um dos desafios para a equação gênero e educação, levando em conta seu apelo para a juventude.

Miriam Abramovay, coordenadora do Programa Estudos e políticas sobre juventudes, educação e gênero: violências e resistências da Flacso Brasil, e Mary Garcia Castro acessam o debate sobre “ideologia de gênero” e a importância de educação sexual nas escolas em Por que silenciar gênero na escola?.

Acesse aqui o Caderno N20 Educação, gênero e decolonialidade do saber: esperançando outros tempos.

  • Apresentação
    Mary Garcia Castro
  • Reflexiones sobre el género y la violencia contra las mujeres en la educación superior mexicana
    Ursula Zurita Rivera
  • Virada feminista e perspectiva decoloniais. Notas-ensaio para outros currículos e práticas em ciências sociais
    Mary Garcia Castro
  • Gênero e educação: desafios e contradições
    Lucia Helena Rincón Afonso, Maria Cristina das Graças Dutra Mesquita e Maria Esperança Fernandes Carneiro
  • Por que silenciar gênero na escola?
    Miriam Abramovay e Mary Garcia Castro