Elaboração de Relatórios de Desenvolvimento Juvenil

Trata-se da atualização dos estudos e aprofundamento do arcabouço metodológico-conceitual dos três Relatórios de Desenvolvimento Juvenil elaborados pelo autor Júlio Jacobo Waisselfizs em 2003, 2006 e 2007  a partir dos aspectos: a) disponibilidade de novas fontes e as definições quanto às políticas públicas de juventude, b) desenvolvimento de capítulo analítico temático sobre juventude, c) desenvolvimento conceitual e de um novo Índice de Desenvolvimento Juvenil que possibilite analisar a situação e evolução da juventude segundo raça/cor.

O primeiro deles, divulgado em abril de 2004, pretendeu realizar uma descrição da situação social, educacional e ocupacional dos jovens do Brasil, objetivando também, e fundamentalmente, a construção de um indicador sintético sobre as condições de vida e as possibilidades de acesso aos benefícios sociais básicos, como educação, saúde e renda, nas diversas unidades federativas (UF) do país, denominado Índice de Desenvolvimento Juvenil (IDJ). Esse índice utilizou critérios e dimensões semelhantes aos propostos pelo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), adaptando-os de modo a contemplar questões e situações específicas dos jovens, na faixa etária de 15 a 24 anos.

Dois anos depois, a Organização dos Estados Ibero-americanos para a Educação, a Ciência e a Cultura (OEI) atualizou as análises e os índices, comparando a situação em 2006, na tentativa de estabelecer áreas onde o direito de acesso aos benefícios sociais básicos melhorou, estagnou ou, inclusive, regrediu. Em 2007, com idêntico propósito ao dos anteriores, ou seja, de verificar a evolução da situação da juventude brasileira nos últimos anos, o Relatório chamou a atenção das autoridades e da sociedade em geral para o fato da continuidade e reprodução, sobre os nossos jovens, dos velhos padrões de desigualdade já amplamente discutidos e documentados no Brasil.

Os estudos utilizaram as bases de dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), as do Sistema de Informações sobre Mortalidade do Ministério da Saúde (SIM/DATASUS) e as do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica (Saeb).

 

Objetivos

Desenvolver indicadores para a avaliação de políticas e programa focados no tema Juventude

 

Público envolvido

Gestores de Programas para Juventude

 

Período

Agosto a Dezembro 2014

 

Abrangência

Nacional

 

Parceiros

Secretaria Geral da Presidência da República

Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco)

Instituto Sangari

Rede de informação Tecnológica LatinoAmericana (Ritla)

Ministério da Ciência e Tecnologia

 

Equipe

Júlio Jacobo Waisselfizs (Coordenação)

Mary Garcia Castro

Este projeto pertence aos seguintes programas: Programa Estudos sobre a Violência