Inscreva-se


3ª Turma | Modalidade virtual

Especialização e Curso Internacional

Início em setembro de 2021

Modalidade: Virtual

Especialização: 40 créditos, 360 horas

Curso Internacional: 9 créditos, 90 horas

Duração: setembro de 2021 a junho de 2022

Inscreva-se aqui.

Resolución CD 2019.03/13


COORDENAÇÃO GERAL
Mara Viveros Vigoya (Universidad Nacional de Colombia, Colômbia)

Nilma Gomes (Universidade Federal de Minas Gerais, Brasil)

Rita Segato (Universidade de Brasília, Brasil – Universidad Nacional de San Martín, Argentina)

COORDENAÇÃO ACADÊMICA
Karina Bidaseca (Universidad de Buenos Aires e Universidad Nacional de San Martín, Argentina)

COMITÊ ACADÊMICO
Salete Sirlei Valesan Camba (Flacso Brasil), Mara Viveros Vigoya (Unal, Colombia), Nilma Gomes (UFMG, Brasil), Rita Segato (UnB, Brasil y UNSAM, Argentina), Karina Bidaseca (CLACSO, UBA y UNSAM, Argentina)

A certificação da Especialização e do Curso Internacional serão realizados pela Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (Flacso Brasil) e pelo Conselho Latino-Americano de Ciências Sociais (Clacso).


O Curso de Especialização Internacional em Estudos Afro-Latino-Americanos e Caribenhos é uma proposta de formação intensiva de pós-graduação que visa divulgar pesquisas e debates atuais sobre a história, trajetórias e dinâmica social da população afrodescendente da América Latina e do Caribe dentro da perspectiva crítica decolonial, afro-latino-americana, afro-caribenha e afro-feminista. Constitui também um espaço que busca entrelaçar reflexões acadêmicas, políticas, educacionais, estéticas e promover a criação e o fortalecimento desse campo de estudos.
 
Na América Latina e no Caribe, a colonialidade é um dos elementos constitutivos e específicos de um padrão de poder em que a imposição de uma classificação étnico-racial à sua população desempenhou um papel fundamental. Tomar consciência dessa colonialidade de poder que opera tanto nas esferas macrossocial, microssocial e subjetiva requer abordar as epistemes da não africanidade e da questão racial como uma invenção histórica colonial cujos efeitos continuam a afetar o destino social e a existência diária daqueles que habitam esta região. Ao mesmo tempo, reconhecer o poder como uma rede de relações que entrelaça indissociavelmente pelo menos três sistemas de opressão – “raça”, gênero e classe – e as diferentes matrizes que compuseram as “alteridades históricas” derivadas da racialização. Em cada nação, isso implica oferecer um novo olhar sobre essas relações e promover ações mais efetivas, a partir das especificidades do pensamento e da criatividade afro-latino-americana e caribenha. Por fim, implica compreender e enfrentar os processos de discriminação, exclusão, criminalização, genocídio, feminicídio e juvenicídio das populações afrodescendentes e participar na criação de condições para a produção do próprio conhecimento sobre esses processos e de estratégias de combate adequadas para enfrentar essas formas de violência.
 
Na última década assistimos na região ao que poderíamos chamar de virada antirracista para designar essa mudança ocorrida na forma como se dá a atenção ao racismo na esfera pública e seus efeitos, na perspectiva do trabalho. Ao mesmo tempo, nos últimos dois anos, os processos de opressão racista e violência que constituem a colonialidade tornaram-se evidentes – conforme expresso pela distribuição étnico-racial desproporcional das vítimas da pandemia da Covid-19, e o movimento global de protesto e sensibilização do racismo causado pela violência policial e pelas mortes de George Floyd, em Minneapolis, e de outros jovens racializados em diversos países da região. Além disso, em muitos contextos, esse movimento tem promovido – com diferentes níveis, intensidade, abrangência e resultados – a elaboração e implementação de políticas públicas de combate ao racismo.
 
Este programa de formação busca dar conta do crescimento no plano acadêmico da organização intelectual e política das mulheres e homens negros latino-americanos e caribenhos e de uma produção teórica e intelectual afro-orientada que está investigando e enfrentando o racismo em suas múltiplas dimensões e níveis, sob uma perspectiva crítica e emancipatória.
• Divulgar e promover pesquisas sobre teorias, histórias, filosofias, conhecimentos, artes e cosmologias da herança africana no continente latino-americano e caribenho.
 
• Fornecer elementos conceituais e históricos que permitam abordar a partir de perspectivas críticas e intersetoriais os processos de racialização das populações afrodescendentes e seus efeitos na vida social e cotidiana.
 
• Promover análises intersetoriais e situadas que possibilitem compreender a complexidade da existência de mulheres, homens e LGBTQIA+ afrodescendentes e elevar o reconhecimento de seus direitos.
 
• Formar e capacitar para o desenho, acompanhamento e avaliação de ações e políticas voltadas para a garantia dos direitos humanos das populações afrodescendentes frente à criminalização, genocídio, feminicídio e juvenicídio negro.
 
• Analisar as convenções, acordos e resoluções internacionais que reconhecem e salvaguardam os direitos das populações afrodescendentes no âmbito da Década Internacional de Afrodescendentes.
A especialização e o Curso Internacional destinam-se a alunos de graduação e pós-graduação; professores de todos os níveis; ativistas e militantes de organizações afrodescendentes, sindicatos, movimentos sociais e partidos políticos; funcionárias e funcionários públicos; trabalhadores da imprensa; membros e gestores de organizações não governamentais e profissionais interessados em estudos afro-latino-americanos e caribenhos.
Aida Bueno Sarduy (New York University, Espanha – Cuba), Ángel G. Quintero Rivera (Universidad de Puerto Rico), Anny Ocoró Loango (Faculdade Latino-americana de Ciências Sociais, Argentina), Anna Canavarro Benite (Universidade Federal de Goiás, Brasil), Betty Ruth Lozano (Unibautista, Colômbia), Cidinalva Neris (Universidade Federal do Maranhão, Brasil), Claudia Miranda (Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Brasil), Claudia Mosquera Labbé (Universidad Nacional de Colombia), Dina Alves (Universidade Pontifícia Católica de São Paulo, Brasil), Elissa Lister (Universidad Nacional de Colombia – Universidade de Brasília), Evandro Piza Duarte (Universidade de Brasília, Brasil), Franklin Gil Hernández (Universidad Nacional de Colombia), Glenda Cristina Valim de Melo (Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Brasil), Jean Bosco Kakozi Kashindi (Universidade Federal de Integração Latino-americana, Brasil – R.D.Congo), Karina Bidaseca (Universidad Nacional de Buenos Aires y Universidad Nacional de San Martín, Argentina), Kátia Regis (Universidade Federal do Maranhão, Brasil), Luciana Oliveira (Universidade Federal de Goiás, Brasil), Luis Ferreira (Universidad Nacional de San Martín, Argentina – Uruguai), Mara Viveros Vigoya (Universidad Nacional de Colombia), Nilma Gómes (Universidade Federal de Minas Gerais, Brasil), Rita Segato (Universidade de Brasília, Brasil – Universidad Nacional de San Martín – Argentina), Roberto Carlos da Silva Borges (Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca, Brasil), Rodrigo Ednilson de Jesus (Universidade Federal de Minas Gerais, Brasil), Rosa Campoalegre (Centro de Investigaciones Psicológicas y Sociológicas, Cuba), Santiago Arboleda Quiñónez (Universidad Andina Simón Bolívar, Equador), Saúl Hernández Rosales (Escuela Nacional Superior Autónoma de Bellas Artes del Perú, Venezuela), Susy Castor (Centre de recherche et de formation économique et sociale pour le développement, Haiti), Tarsila Flores (Universidade de Brasília, Brasil), Wanderson Flor do Nascimento (Universidade de Brasília, Brasil).
A especialização em Estudos Afro-Latino-Americanos e Caribenhos terá duração de 12 meses e para a certificação faz-se necessário: a realização de um curso internacional, dois seminários virtuais eletivos da estrutura curricular, uma oficina de apoio à redação do trabalho final e a elaboração do trabalho final.
 
O Curso Internacional é composto por palestras dos coordenadores do Programa e da equipe docente. Requer para certificação a realização e aprovação de um trabalho final, além da participação em pelo menos 80% das atividades e tarefas propostas pelos docentes.
 
A Especialização e o Curso Internacional acontecerão entre setembro de 2021 e agosto de 2022.
 
Os alunos da Especialização e do Curso Internacional terão o apoio de tutores acadêmicos que acompanharão a realização dos seminários virtuais e orientarão a produção dos trabalhos finais.
 
Terminados os seminários, os alunos terão um prazo de quatro meses para entrega do trabalho final. Se estiver pendente a conclusão de créditos, também terão esse prazo para cumpri-los.
 
A Especialização e o Curso Internacional são certificados pela Flacso Brasil e pelo Clacso.
 
A Especialização tem carga horária total de 360 horas e o Curso Internacional 90 horas.
 
ESCLARECIMENTO
 
Quem se inscrever na Especialização completa não precisa fazer inscrição separadamente no Curso Internacional.
 
Os cursos podem ser ministrados em espanhol ou português indistintamente, ambas as línguas oficiais da Flacso e do Clacso.
Curso Internacional “Estudos Afro-Latino-Americanos e Caribenhos”
 
Resumo
 
Pensar a América Latina e o Caribe é pensar a raça completamente fora do multiculturalismo e das identidades políticas do espectro globalizado, que construiu o mito da “raça” como etnia ou diferença cultural substantiva fundada na separação. A “raça” em nosso continente é produto da racialização de origem colonial que varia de acordo com os diferentes contextos nacionais. Existem três eixos principais pelos quais o padrão de poder capitalista classifica as pessoas: trabalho, sexo e raça. No entanto, a categoria raça é o centro estruturante da colonialidade-modernidade. Partindo dessa base comum, as conferências principais abordarão questões relacionadas ao afrodescendente na América Latina e no Caribe nos campos da história, filosofia, religião, artes, direito, relações de gênero, política, violência e educação, entre outros.
 
SEMINÁRIOS ELETIVOS
 
Primeiro semestre
 
Feminismos negros
 
Resumo
Este seminário explora as contribuições, narrativas, articulações, tensões e alternativas do feminismo negro. Aborda as diferentes contribuições dos movimentos de mulheres negras na América Latina e no Caribe, a luta dos corpos racializados diante da colonialidade do poder-saber-gênero, a partir de diálogos que, a partir da interseccionalidade, se propõem a enfrentar as múltiplas opressões. Por fim, fornece ferramentas para aprofundar, desde os afrodescendentes, em vozes, silêncios, resistências e reexistências.
 
Coordenação
Rosa Campoalegre Septien (CIPS, Cuba) e Claudia Miranda (Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Brasil)
 
Enfrentando o racismo sistêmico
 
Resumo
 
O conceito de raça, como atributo socialmente construído no tempo e no espaço, ainda funciona como parâmetro para a alocação de pessoas na estrutura social. As ações afirmativas surgem com uma estratégia de combate ao racismo e podem ser colocadas em prática em todas as esferas da sociedade civil, pois visam principalmente desfazer a estrutura social que coloca os afrodescendentes em posições econômicas e simbólicas desfavorecidas. O curso baseia-se na abordagem epistemológica da afrocentricidade, na qual os povos da África e da diáspora deveriam ser o centro do estudo dos fenômenos sociais, portanto, os protagonistas de sua própria história.
 
Coordenação
 
Anna Canavarro Benite (Universidade Federal de Goiás, Brasil) e Anny Ocoró Loango (Flacso Argentina)
Segundo semestre
 
Religiosidades e músicas afro-latino-americanas
 
Resumo
 
O curso busca apresentar as principais perspectivas, contribuições e debates no estudo da música e religiosidade afro-latino-americana e caribenha. Fornecer referências básicas para o desenvolvimento de estudos sobre música e religiões de base africana; formações nacionais de alteridade e racialização de gêneros musicais em quadros de cultura e poder; análise sistemática de música e performance; processos de mistura e hibridização.
 
Coordenação
 
Aida Bueno Sarduy (New York University, Espanha/Cuba) e Luis Ferreira (UNSAM, Argentina/Uruguai)
 
Mídia e Racismo
 
Resumo
 
O curso abordará os problemas da mídia e do racismo na formação e identificação das populações afrodescendentes e na construção da mídia de massa em diferentes contextos, estudando a apresentação dessa população em notícias, novelas, publicidade e notas jornalísticas e usando metodologias de pesquisa social.
 
Coordenação
 
Elbert Agostinho (Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca, Brasil)
 
Oficina de apoio à elaboração do trabalho final
 
Resumo
 
A oficina é um espaço de formação destinado a orientar a elaboração do trabalho monográfico final da especialização. Os estudantes terão acompanhamento e orientação na elaboração do objeto de análise, na sua tradução em problema de estudo viável, na construção de um plano de trabalho, no desenvolvimento de redes argumentativas e na definição de conclusões analíticas. Essas tarefas serão realizadas individual e coletivamente por meio de intercâmbio entre pares e com o professor responsável pela oficina, através do fórum de discussão. O objetivo da oficina é a produção do esboço do trabalho final da especialização. O trabalho monográfico final poderá ser em espanhol, português ou inglês.
CM Pleno: se você pertence a um Centro Membro Pleno do CLACSO.
CM Associado: Se você pertence a um Centro Associado do CLACSO.
Sem vínculo: Se você NÃO possui nenhum desses vínculos com o CLACSO.
ESPECIALIZAÇÃO
Pagamento em uma parcela antes de 05/09 Pagamento em uma parcela após 05/09 Pagamento em 3 parcelas
CM Pleno USD 350 USD 500 USD 660 (3 x USD 220)
CM Associado USD 400 USD 600 USD 870 (3 x USD 290)
Sem Vínculo USD 450 USD 800 USD 1080 (3 x USD 360)
CURSO INTERNACIONAL
Pagamento em uma parcela antes de 05/09 Pagamento em uma parcela após 05/09 Pagamento em 3 parcelas
CM Pleno USD 100 USD 200 USD 270 (3 x USD 90)
CM Associado USD 150 USD 250 USD 360 (3 x USD 120)
Sem Vínculo USD 200 USD 320 USD 450 (3 x USD 150)
Em todos os casos, o pagamento pode ser feito por cartão de crédito, depósito ou transferência bancária.
Quem pode participar da Especialização e do Curso Internacional?
 
A Especialização e o Curso Internacional são destinados a estudantes universitários de graduação e de pós-graduação; professores de todos os níveis; ativistas e militantes de organizações sindicais, movimentos sociais e partidos políticos; funcionários públicos e agentes da área jurídica, jornalistas, comunicadores e assessores de imprensa; membros e dirigentes de organizações não governamentais e profissionais interessados no assunto.
 
O que devo fazer para me inscrever?
 
Para participar é necessário que você se inscreva pela web.
 
As inscrições estarão abertas entre
 
Como confirmar se estou inscrito/a?
 
Ao finalizar o processo de cadastro você receberá uma confirmação por e-mail.
 
O que acontece se eu não cursar, não concluir ou for reprovado/a nos Seminários Eletivos e obrigatórios exigidos pela Especialização?
 
No caso de não ser concluída alguma das instâncias de formação obrigatórias, em todos os casos, deverá ser pago um valor adicional para recuperação do referido crédito.
 
Caso o aluno decida não fazer a Especialização ou o Curso Internacional antes do seu início formal, ele poderá solicitar o reembolso da taxa de inscrição. O Clacso ficará com o equivalente a 10% das despesas administrativas.
 
Critérios excepcionais: em casos excepcionais e nos primeiros dois meses de início da Especialização, o aluno poderá solicitar a saída da turma e retomá-la no ano seguinte. Em todos os casos, os motivos que justificam o pedido devem ser apresentados por escrito. Dois meses após o início do curso, não será mais possível solicitar esse procedimento.
 
O que acontece se eu tiver que abandonar o curso?
 
Caso o aluno decida não fazer o Curso Internacional ou a Especialização antes de seu início formal, ele poderá solicitar o reembolso da taxa de inscrição. O Clacso ficará com o equivalente a 10% das despesas administrativas. Após o início, nenhum reembolso será feito.
 
Quando as aulas começam e quando terminam?
 
As aulas terão início a partir de setembro de 2021 e serão concluídas em agosto de 2022.
 
Como poderei acessar as aulas?
 
Todos os inscritos receberão as instruções necessárias para acessar as aulas, a bibliografia e os fóruns de discussão por meio do Espaço de Formação Virtual do Clacso.
 
Como poderei utilizar o Espaço de Formação Virtual?
 
O acesso e a navegação pelo Espaço de Formação Virtual acontecem de maneira simples e clara. De qualquer forma, uma equipe de apoio técnico e acadêmico estará sempre à disposição.
 
O que devo fazer para obter o título da Especialização?
 
Deve credenciar o Curso Internacional, dois Seminários Virtuais eletivos, a oficina de apoio à realização do trabalho final e realizar o trabalho final.
 
Como será a avaliação da Especialização?
 
Para obter o título da Especialização, você deve concluir um trabalho monográfico final. A oficina de apoio à realização do trabalho final é obrigatória e vai ajudá-lo nesse processo.
 
O que devo fazer para obter o título do Curso Internacional?
 
Você deve participar das aulas e atividades propostas pelos professores e fazer o trabalho monográfico final.
 
Vou receber um certificado por ter concluído a Especialização ou o Curso Internacional?
 
Sim, a Especialização e o Curso Internacional são certificados pela Flacso Brasil e pelo Clacso.
 
A especialização tem carga horária total de 360 horas e o curso internacional 90 horas.
 
O envio do certificado de conclusão será feito de forma digital e é totalmente gratuito. O mesmo, em formato físico, pode ser obtido gratuitamente na sede do Clacso, em Buenos Aires, ou nas sedes da Flacso no Brasil (Brasília, Rio de Janeiro ou São Paulo).
 
O diploma internacional de Especialista é emitido pela Secretaria-Geral da Flacso, localizada na Costa Rica. Os valores e procedimentos para emissão e envio do diploma internacional podem ser consultados na página da Flacso Brasil: versão em português e versão em espanhol.
 
Posso legalizar ou validar a Especialização?
 
A Especialização e o Curso Internacional são credenciados pela Flacso Brasil e pelo Clacso.
 
Qual é o custo da Especialização?
 
Veja a tabela de preços e modalidades, disponível na página da especialização.

Qualquer outra dúvida entre em contato através dos e-mails posgraduacao@flacso.org.br e afro3@clacso.edu.ar ou envie um WhatsApp para +5491138801388.

Para tratar de desconto para grupos e instituições, você pode entrar em contato com descuentosinstitucionales@clacso.edu.ar.