Movimento Candelária Nunca Mais faz ato dia 23 no Rio

Por Marina Baldoni Amaral

Na noite de 23 de julho de 1993, policiais atiraram contra mais de 70 crianças e adolescentes sem-teto que dormiam próximo à Igreja da Candelária, no centro do Rio de Janeiro. Oito deles, com idades entre 11 e 19 anos, foram mortas no massacre. Hoje, 22 anos depois da Chacina da Candelária, a violência contra os jovens, principalmente pobres e negros, continua crescendo. Dados do Mapa da Violência mostram que o homicídio é a principal causa de morte de adolescentes de 16 e 17 anos no país.

O Movimento Candelária Nunca Mais!, formado por várias instituições e segmentos da sociedade civil organizada, realiza mobilizações todos anos para marcar a data e lutar por avanços nas garantias dos direitos humanos de crianças e adolescentes. A Flacso Brasil é uma das parceiras do ato deste ano.

Esta semana, entre os dias 20 e 23, vão acontecer várias atividades no Rio de Janeiro. Entre elas, o seminário INFANTICIDADES (Cidades que matam sua infância), na segunda-feira (20) e a Vigília das Mães, em frente à Igreja da Candelária, na noite de quarta-feira (22). Na quinta-feira (23) será realizada uma missa na igreja onde ocorreu a chacina, seguida de uma caminhada, ato e audiência pública.

Para participar ou obter mais informações, confira a página do evento no Facebook.

A mobilização faz parte de um contexto mais amplo de atos que acontecem em todo o Brasil contra as tentativas de redução da maioridade penal. O evento também lembra que, no ano em que o Estatuto da Criança e do Adolescente completa 25 anos, ainda é preciso lutar pela sua efetiva implementação.


Programação:

Dia 20 de Julho

15h – Seminário INFANTICIDADES (Cidades que matam sua infância)
Auditório da Defensoria Pública (Av. Marechal Câmara, 314 / 4º andar, Centro – RJ
Dia 22 Julho 
18h – Vigília das Mães (em frente Igreja da Candelária)
Dia 23 de Julho
10h – Missa e Ato Interreligioso (Igreja da Candelária)
12h – Caminhada e Ato Público (Candelária – Rua Primeiro de Março – parada na ALERJ – Rua Araújo Porto Alegre – Cinelândia)
15h – Audiência Pública Jovens vítimas da violência e Justiça Reparadora para Familiares (Participação Ministro Pepe Vargas/Direitos Humanos, Prof. Jacobo Waselfisz/Flacso Brasil e Carlos Nicodemos/Conanda (Auditório do Sindicato dos Jornalistas – Rua Evaristo da Veiga, 16, Centro)