Em entrevista à tevê, o ministro da Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes, informou que, “se não houver orçamento”, não terá como fazer os pagamentos


O ministro da Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes, informou que a pasta só tem recursos para pagar bolsas do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) até sábado (31/8). Ao programa Em Foco, da Globo News, Pontes afirmou que, se não houver orçamento, não terá como repassar os pagamentos.
“A gente tem o recurso agora até o final deste mês, que a gente vai fazer pagamento, em 1° de setembro. E a gente vai ter que achar para outro mês”, afirmou o ministro. Pontes tenta conseguir recursos junto ao Ministério da Economia e à Casa Civil.

O Ministério da Economia informou que o pedido feito pelo MCTIC permanece em análise na Junta de Execução Orçamentária (JEO), “sem prazo para decidir sobre o pleito”.
Pontes ressaltou, ao programa, que “muitos dos pesquisadores dependem dessas bolsas para sobreviver”, já que recebem o dinheiro para trabalhar em tempo integral, o que os impede de ter outro emprego remunerado. Aproximadamente 84 mil bolsas são pagas atualmente.
“É um caso importante, o presidente sabe disso, o ministro Onyx [Casa Civil] sabe, a Economia sabe e eu estou esperando a resposta deles muito em breve”, declarou o ministro.

Audiência pública

O presidente do CNPq, João Luiz Filgueiras de Azevedo, deverá explicar na quarta-feira (28/8), em audiência pública na Comissão de Transparência, Fiscalização e Controle (CTFC) do Senado, a possibilidade de suspensão dos pagamentos de bolsas a partir de setembro. A reunião está prevista para 9h30.
No ano passado, o órgão já havia informado sobre a dificuldade para investir em pesquisa em 2019. Em julho deste ano, o CNPq suspendeu a divulgação de aprovados em seleção de bolsistas. A chamada n° 22/2018 oferecia bolsas especiais no país e no exterior a fim de apoiar projetos de pesquisa.