TV Centro América, afiliada da Rede Globo, realizou, na noite desta quinta-feira (04), o último debate entre os candidatos a prefeito de Cuiabá. O debate começou às 23h25 e terminou na madrugada de hoje. 

Dividido em cinco blocos, sendo dois com perguntas de temas definidos, dois blocos com temas livres, e um para considerações finais, o debate da Globo é, tradicionalmente, o mais “engessado”, pois não facilita o embate entre os candidatos. No entanto, gera expectativas por ser o último confronto antes das eleições, no próximo domingo (7).

A mediadora foi a apresentadora Lucimar Lescano, da TV Morena, afiliada da Globo em Mato Grosso do Sul. 

Participaram do debate os cinco principais postulantes à prefeitura: Mauro Mendes (PSB), Lúdio Cabral (PT), Guilherme Maluf (PSDB), Carlos Brito (PSD) e Procurador Mauro (PSB). O nanico Adolfo Grassi (PPL) foi excluído do embate por seu partido não ter representante no Congresso Nacional. 

Os cinco candidatos já se enfrentaram em dois outros debates televisivos, transmitidos pela Rede Record (Canal 10).

De modo geral, o debate da TV Globo foi “morno”, principalmente se comparado aos dois debates transmitidos pela emissora concorrente. Sem menção a escândalos, ou quaisquer questionamentos mais duros, os candidatos não bateram de frente, nem descambaram para a troca de acusações diretas.

Os momentos mais polêmicos do embate foram proporcionados por Carlos Brito, que não perdeu a oportunidade de alfinetar Lúdio Cabral e o Governo do Estado. 

O Procurador Mauro também adotou uma postura incisiva, e distribuiu farpas. 

Acompanhe a cobertura do último debate desse primeiro turno das eleições:

1º bloco:

O tema sorteado para a primeira pergunta foi “Lixo”. O primeiro a fazer perguntas, conforme sorteio, foi o candidato Lúdio Cabral, que perguntou para Mauro Mendes sobre suas propostas para a gestão lixo na Capital.

Mendes respondeu que pretende implantar coleta seletiva, começando pelos condomínios, para posteriormente expandi-las para os bairros. Ele disse que pretende também realizar trabalho educativo com as crianças. 

Na réplica, Lúdio afirmou que acessará recursos do Governo Federal para implantar o plano de resíduos sólidos em Cuiabá. 

Com o tema “Educação”, Mauro Mendes perguntou ao Procurador Mauro as propostas para melhorar a educação na sala de aula. 

Procurador Mauro respondeu que pretende ampliar a rede de ensino, climatizar salas de aula e implantar a escola em tempo integral. Ele disse que os recursos serão obtidos combatendo a corrupção. O candidato acredita que é preciso também investir em cultura e esporte para avançar na área de educação.

Na réplica, Mauro Mendes disse que sua proposta é valorizar o profissional da educação, melhorar a estrutura das escolas e investir em tecnologia.

O terceiro tema sorteado foi “Creche”. O Procurador Mauro perguntou a Carlos Brito sobre suas propostas. 

Carlos Brito respondeu que vai dobrar o número de creches e aumentar a qualidade do atendimento. Para ele, investir em creches é investir no futuro, e afirmou que não se pode economizar nisso. 

Na réplica, o Procurador Mauro falou que é preciso não só ampliar o número de creches, mas também aumentar o tempo de atendimento. 

O quarto tema foi “Plano Diretor”. Carlos Brito perguntou a Guilherme Maluf se pretende aplicar de fato o plano diretor da capital sem privilégios e personalização.

Guilherme Maluf respondeu que é preciso atualizar o plano diretor de Cuiabá, pois está repleto de falhas e desatualizado. O tucano disse que o planejamento urbano de Cuiabá não pode ser imposto, mas sim precisa ser discutido com a população. Ele disse, também, que é preciso ocupar os espaços urbanos vazios no meio da cidade.

Na réplica, Brito disse que é preciso cumprir o plano diretor, e lembrou que obras de mobilidade urbana presentes no pacote da Copa já estavam previstas no planejamento da capital há muitos anos.

O quinto tema foi “Habitação”. Guilherme Maluf perguntou a Lúdio Cabral sobre suas propostas para esse setor.

Lúdio Cabral respondeu que fará uma grande programa de regularização fundiária, e acessará o programa Minha Casa Minha Vida para construir 13 mil casas em Cuiabá. 

Na réplica, Maluf criticou a falta de infraestrutura nos residenciais do programa Minha Casa Minha Vida. Lúdio rebateu dizendo que o grande problema foi a morosidade da Prefeitura.

2º bloco:

Com perguntas de tema livre, o segundo bloco foi aberto por Guilherme Maluf. Ele questionou Mauro Mendes sobre como ele pretende levar atendimento a saúde dentro das escolas.

Na resposta, Mendes criticou o atendimento de saúde que existe hoje, e ressaltou a importância de se realizar um trabalho preventivo, dobrando o número de equipes do Programa Saúde da Família, e colocando médicos, dentistas e psicólogos nas escolas. O candidato também reafirmou sua proposta de construir um novo Pronto-Socorro para a capital.

Na resposta, Mendes criticou o atendimento de saúde que existe hoje, e ressaltou a importância de se realizar um trabalho preventivo, dobrando o número de equipes do Programa Saúde da Família, e colocando médicos, dentistas e psicólogos nas escolas. O candidato também reafirmou sua proposta de construir um novo Pronto-Socorro para a capital.

Mauro Mendes questionou Lúdio sobre a geração de empregos para os jovens.

Lúdio respondeu que implantará cursos profissionalizantes e um programa de estágios, e ampliará o CuiabáVest para facilitar o acesso à universidade. Ele ressaltou que é preciso qualificar o jovem principalmente para o esporte e turismo, de modo a aproveitar as oportunidades da Copa do Mundo.

Na réplica, Mendes disse que vai criar o programa Primeiro Emprego para incentivar a contratação de jovens. 

Lúdio Cabral perguntou a Carlos Brito sua avaliação sobre a Comunicação Social na Prefeitura, e as propostas para o setor.

Brito respondeu que a comunicação pública não pode ser usada para campanha, mas sim para mostrar à população como foi gasto o dinheiro público. Ele alfinetou o petista, afirmando que a comunicação do Governo Estadual está sendo usado a favor de campanhas. 

Na réplica, Lúdio disse que a prefeitura gastou R$ 11 milhões com propaganda em 2011, e R$ 9 milhões em 2012. Ele prometeu reduzir em 80% o volume de gastos e aplicar em outras áreas, como saúde e educação. 

Na tréplica, Brito rebateu afirmando que a Prefeitura apenas cumpre o que foi determinado pelo Orçamento aprovado na Câmara Municipal.

Carlos Brito questionou o Procurador Mauro sobre providências para melhorar o trânsito, além das obras de mobilidade urbana já em andamento.

O procurador respondeu que o problema do trânsito só será resolvido com fortalecimento do transporte coletivo, e afirmou que as empresas em Cuiabá operam com licitações vencidas. Ele disse que é preciso reforçar a fiscalização e monitoramento dos ônibus, com câmeras e radares. O candidato prometeu criar uma empresa pública para tal, e avançar também nas obras de mobilidade. 

Na réplica, Brito citou diversas obras que ainda precisam ser feitas para ampliar a malha viária da cidade. 

Procurador Mauro perguntou a Guilherme Maluf suas propostas para a cultura, e aproveitou para criticar os gastos da prefeitura com o desfile da Mangueira.

Maluf disse que vai fortalecer a cultura local, ampliar as festas de carnaval e aquecer a economia do município com investimentos em festas e eventos nos bairros.

Na réplica, o procurador Mauro disse que vai ampliar a participação da classe cultural no Conselho de Cultura e investir 1,5% da arrecadação no setor. Maluf afirmou que pretende dobrar o investimento atual e disse que é preciso democratizar o Conselho. 

3º bloco:

Com o tema “Transporte”, Mauro Mendes questionou Carlos Brito sobre o transporte público. 

Brito respondeu que é preciso investir na ampliação e na integração entre os modais. Ele lembrou que, como deputado, foi autor do projeto que implantou o transporte integrado na região metropolitana.

Com o tema “Segurança Pública”, Carlos Brito questionou Guilherme Maluf sobre suas propostas para o setor.

Maluf ressaltou que apesar de ser obrigação do Estado, a prefeitura deve atuar firme nessa área, e prometeu fazer um mapa da violência e um “plano diretor” da segurança. Ele diz que é preciso iluminar e melhorar infraestrutura dos bairros, e mencionou a possibilidade de uma espécie de lei seca, com restrição de horários e locais para vendas de bebidas. 

Na réplica, Brito ressaltou que é preciso combater as drogas. Maluf respondeu que é importante combater as drogas, mas não se trata somente de caso de polícia, mas sim de dar assistência às famílias. 

Com o tema “Trânsito”, Guilherme Maluf perguntou a Lúdio Cabral sobre como melhorar a receita do licenciamento de veículos e a forma de aplicação desses recursos.

Lúdio disse que vai descentralizar serviços públicos para desafogar o trânsito em Cuiabá. Ele citou o VLT como importante ferramenta para desobstruir o trânsito. 

Na réplica, o tucano ironizou o petista, e lembrou que sua pergunta foi sobre a política de arrecadação. Ele afirmou que o município recebe apenas migalhas.

Com o tema “Pavimentação”, Lúdio Cabral questiona o Procurador Mauro sobre suas propostas.

Procurador Mauro aproveitou para criticar a concessão da Sanecap, afirmando que o município ficou refém da CAB Ambiental no serviço de saneamento, de modo que não se pode asfaltar as vias sem antes ser feita a rede de esgoto. Ele prometeu retomar os serviços de água e esgoto.

Lúdio concordou com o adversário sobre a retomada da concessão, afirmando que não tem sentido fazer asfalto sem levar rede de água e esgoto. 

Com o tema “Saúde”, Procurador Mauro lembrou que o ex-governador Blairo Maggi (PR) não cumpriu a promessa de concluir o Hospital Central, e questionou Mauro Mendes sobre sua proposta de fazer um novo Pronto-Socorro.

Mendes defendeu o aliado e disse que o esqueleto do hospital não serve mais para ser um hospital, porque está defasado. Ele reafirmou a necessidade de construir um novo Pronto-Socorro para Cuiabá, e disse que construir é muito mais barato que equipar.

4º bloco:

Com tema livre, Procurador Mauro questionou Lúdio Cabral sobre o caos na saúde do Estado, no governo de Silval Barbosa (PMDB), que apoia o petista.

Lúdio respondeu que tem compromisso com a saúde pública e o SUS 100% público. Ele criticou a falta de entendimento entre os últimos prefeitos e o Governo do Estado e afirmou, ainda, que a boa gestão da saúde pública em Cuiabá pode até auxiliar o Estado. 

Na réplica, o procurador disse que o prefeito é um líder do município e que precisa lutar pela cidade, criticando o governo quando for necessário. Lúdio rebateu e disse que o prefeito precisa ser um estadista, e que Cuiabá se tornará exemplo para o Brasil.

Lúdio Cabral perguntou a Guilherme Maluf sobre as propostas para os servidores municipais. 

Maluf respondeu que pretende cuidar do servidor público, com a criação de uma policlínica e escola voltada para a categoria. Ele prometeu rediscutir o Plano de Cargos, Carreiras e Salários e a realização de concurso. Maluf alfinetou o petista afirmando que alguns candidatos prometem salários mirabolantes, fora da capacidade da prefeitura.

Guilherme Maluf perguntou a Carlos Brito sobre a política para o cinturão verde.

Brito falou que pretende investir nas famílias que vivem no local, e também em outras localidades rurais, para que tenham estrutura e possam escoar e comercializar a produção. Ele disse que é preciso fomentar a produção de produtos orgânicos. 

Na réplica, o tucano disse que pretende criar a Secretaria de Agricultura e levar assistência técnica aos produtores.

Carlos Brito questionou Mauro Mendes sobre como ele enxerga o uso da máquina pública na campanha, lembrando que o governador Silval Barbosa e Lúdio Cabral foram condenados pela Justiça Eleitoral por esse motivo (leia AQUI).

Mendes reclamou que sempre enfrentou máquinas públicas, e alfinetou Silval afirmando que quando teve o apoio do então governador Blairo Maggi, em 2008, este se preocupou mais em governar do quem em fazer campanha. O candidato aproveutou para criticar o caos na saúde do Estado.

Na réplica, Brito disse que o uso da máquina estimula a corrupção, inclusive moral, e desequilibra o pleito. Na sequência, Mendes condenou o uso de “velhas práticas” da política, como corrupção e uso da máquina pública.

Mauro Mendes perguntou ao Procurador Mauro sobre as propostas para a geração de empregos, repetindo o questionamento já feito no primeiro bloco.

Procurador Mauro disse que vai melhorar os serviços públicos e incentivar o empreendedorismo, além de ampliar parcerias para levar qualificação aos trabalhadores. 

Mendes justificou a volta ao tema afirmando que a saúde centralizou discussões, e que gerar empregos influi diretamente na melhora da saúde, diminuindo a violência. O procurador rebateu e afirmou que a saúde é prioritária, apesar de haver outros problemas importantes como geração de empregos e educação.